Quadrilha internacional tinha QG em Copacabana

Grupo traficava cocaína líquida para a Europa no corpo de garotas de programa e abastecia disque drogas na zona sul

Gabriela Moreira / RIO, O Estado de S.Paulo

30 Outubro 2010 | 00h00

Três colombianos e uma equatoriana foram presos em flagrante, ontem, com 57 recipientes contendo cocaína líquida, além de 27 papelotes da droga, em um apartamento em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro. Segundo a polícia, os quatro fazem parte de uma quadrilha internacional de drogas que mantém conexões com o Cartel de Cáli, na Colômbia.

Conforme o delegado Antenor Lopes, a cocaína foi comprada no Rio e seria revendida na Europa. "Eles alugavam apartamentos na zona sul a preços ligeiramente acima do mercado e usavam o local por alguns meses até comprarem toda a droga", afirmou o delegado.

A polícia acredita que o tráfico de cocaína líquida para a Europa ocorria no corpo de garotas de programa cariocas, enviadas com o entorpecente para Madri, na Espanha. Ainda segundo o delegado, as mulheres brasileiras que faziam o transporte da droga recebiam 9 mil euros por cargas entregues. Há suspeita ainda de que os detidos teriam ligação com uma quadrilha que vendia drogas por telefone na zona sul carioca.

Foram presos os colombianos Anuar Soto Arango, de 38 anos, chefe do grupo; Elbamar David Soto Arango, de 36; e Eider Orlando Ospina Vidal, de 24 anos. Com eles também estavam a equatoriana Jéssica Johanna Chiquitto Piloco, de 26 anos, e os brasileiros Walax Santos Alexandre, de 28, e Jefferson Fialho Barbosa, de 18.

Ao cumprirem mandado de busca e apreensão para quatro endereços, dois na Avenida Nossa Senhora de Copacabana e dois na Rua Rodolfo Dantas, naquele bairro, os agentes apreenderam as cápsulas com cocaína líquida pronta para exportação, além de notebooks, celulares e dezenas de documentos com evidências da ação da quadrilha, como agendas e cartões bancários do Brasil e do exterior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.