Redes sociais
Redes sociais

Quadrilha incendeia carros e explode agência bancária em Bragança Paulista

Unidade da Caixa Econômica Federal fazia pagamento do auxílio emergencial da pandemia de covid-19

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2020 | 10h11

Uma quadrilha armada com fuzis invadiu a região central de Bragança Paulista,  no interior de São Paulo, e explodiu uma agência bancária, na madrugada desta terça-feira, 2. Cerca de 20 criminosos chegaram em vários carros e se dividiram em dois grupos, segundo a Polícia Civil.

Enquanto um atacava a agência, o outro se postou em frente ao 34º Batalhão da Polícia Militar, incendiou dois carros e fez dezenas de disparos contra o prédio. Apesar da violência do ataque, a quadrilha não conseguiu ter acesso ao dinheiro do cofre, segundo a polícia. Ninguém ficou ferido.

A ação criminosa teve como alvo uma agência da Caixa Econômica Federal, na rua Coronel Osório, que fazia o pagamento do auxílio emergencial devido ao coronavírus. Os criminosos arrombaram a porta e usaram explosivos na tentativa de explodir o cofre. As explosões, que assustaram os moradores, derrubaram as paredes da agência, mas o cofre resistiu, segundo a polícia.

O dono de um dos carros incendiados contou à polícia que teve o veículo fechado por uma SUV e homens encapuzados mandaram que descesse e se deitasse no chão. Meia hora depois, ele encontrou o carro queimado em frente à base da Polícia Militar do Taboão.

Os criminosos se dividiram na fuga. Um grupo seguiu em direção à rodovia Fernão Dias, enquanto outro pegou a rodovia que liga Bragança a Itatiba. A Polícia Militar mobilizou até helicóptero na perseguição aos criminosos. Até as 9 horas, nenhum suspeito tinha sido preso.

De acordo com a Polícia Civil, por se tratar de banco federal, as investigações ficarão a cargo da Polícia Federal. A Caixa foi procurada e não havia dado retorno até o encerramento da reportagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.