Quadrilha faz arrastão em bingo clandestino na zona oeste de São Paulo

Sete pessoas foram feitas reféns; Polícia Militar prendeu dois suspeitos de participar da ação em prédio na região de Pinheiros

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

27 Novembro 2014 | 08h22

Atualizada às 20h27

SÃO PAULO - Uma quadrilha fez um arrastão em um bingo clandestino, que funcionava em um prédio na região de Pinheiros, na zona oeste da capital paulista, na noite desta quarta-feira, 26. Ao menos 11 pessoas foram feitas reféns pelo grupo que invadiu o local. Dois suspeitos foram presos em flagrante pela Polícia Militar.

Por volta das 23 horas, pelo menos seis criminosos usando coletes falsos da Polícia Civil e toucas entraram pela garagem do prédio, localizado na Rua Teodoro Sampaio. Eles chegaram ao local em dois carros, um Fiat Siena e um Chevrolet Meriva roubados e que, segundo a Secretaria da Segurança Pública, estavam com a placa e a numeração do chassi adulteradas. 

Armados com fuzis, os criminosos renderam o manobrista e depois subiram até o 7.º andar, onde funcionava o bingo com 54 máquinas caça-níqueis. Das vítimas, foram roubados R$ 5 mil, um relógio, joias de ouro e seis aparelhos celulares, segundo a Polícia Civil.

Após uma denúncia anônima, Policiais Militares do 23.º Batalhão foram chamados para atender uma ocorrência de roubo no local. Ao chegarem lá, os agentes se depararam com dois criminosos, que teriam apontado a arma contra os policiais. Houve troca de tiros, mas ninguém se feriu. Por causa do confronto, o portão de vidro do prédio foi estilhaçado.

Os policiais acionaram reforço de homens das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), que iniciaram negociações com o bando. Com a chegada da viatura, parte da quadrilha fugiu por telhados que davam acesso a prédios vizinhos. Dois suspeitos permaneceram no local: o serralheiro Mauro Henrique Silva Souza, de 23 anos, e o ajudante-geral Hugo Sanches Santos da Silva, de 27.

Eles mantiveram os reféns sob a mira de armas de fogo. Cercados e depois de quase uma hora de negociação, os dois suspeitos libertaram os reféns e se entregaram. Segundo a polícia, a dupla teria confessado que os carros eram roubados. 

Foragidos. Com eles foram apreendidos um fuzil calibre 223, uma espingarda calibre 12, uma pistola calibre .40 e outra 9 mm. Também foram apreendidos 12 celulares, um GPS, três coletes com inscrições falsas da polícia e duas toucas tipo ninja. Os dois veículos usados no roubo foram encaminhados ao Instituto de Criminalística.

Policiais do 14.º Distrito Policial (Pinheiros), responsável pelo caso, instauraram um inquérito para investigar os suspeitos que estão foragidos e também o funcionamento do bingo clandestino.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Pinheiros bingo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.