Clayton de Souza/AE
Clayton de Souza/AE

Quadrilha espanca moradores durante arrastão em prédio do Paraíso

Vítimas relatam 3h de horror e dizem que até mãe com bebê no colo foi ameaçada; bandidos fizeram corte na orelha de homem

CAMILLA HADDAD, O Estado de S.Paulo

04 Abril 2012 | 03h03

Disfarçado de carteiro, um assaltante conseguiu invadir, ontem, o Edifício Monte Verde, no Paraíso, zona sul da capital, e abrir caminho para 20 homens promoverem um arrastão em 11 apartamentos. Na ação, os bandidos fizeram um corte na orelha de um morador, espancaram uma jovem e ameaçaram uma mulher com um bebê de colo. As vítimas viveram três horas de terror e ficaram amordaçadas em um quarto apertado na garagem do condomínio.

Segundo a polícia, foi o sétimo arrastão em um empreendimento residencial na cidade de São Paulo. A quadrilha só foi embora do imóvel de luxo, na Rua do Paraíso, depois de lotar quatro veículos com dinheiro e objetos de valor dos moradores. Na lista de pertences roubados está uma coleção de moedas de um juiz federal e US$ 7 mil de outro condômino. O prédio tem um apartamento por andar.

Encapuzados, os bandidos levaram os computadores com imagens dos circuito de segurança. Testemunhas disseram que a primeira pessoa dominada foi o porteiro, que estava ao lado de uma babá, perto da portaria. Os homens permaneceram no local entre 8h e 11h e dominavam as pessoas na garagem quando iam pegar o carro para trabalhar.

Uma estudante de 20 anos estava a caminho da faculdade quando foi surpreendida ao sair do elevador, no subsolo. Assustada, ela deu um grito e foi espancada. A polícia disse que a jovem recebeu uma coronhada e vários socos no olho direito. Muito ferida, foi encaminhada para o Hospital Oswaldo Cruz, na mesma região.

Bebê. Logo na sequência, uma mulher de origem oriental também desembarcou do elevador com uma criança de 8 meses no colo. Ela foi abordada por dois ladrões armados com pistolas que disseram: "perdeu, perdeu, é um assalto". A dupla fez ameaças de morte, caso ela não subisse no apartamento para mostrar o cofre.

Depois de fazer uma varredura no apartamento da moça, a dupla desceu para o vizinho e lá apanhou US$ 7 mil de um engenheiro de 58 anos. Os bandidos fizeram um corte na orelha dele.

A vítima que mais apanhou foi um sargento do Exército, de 44 anos, que trabalhava armado para um juiz federal, de 42. O sargento chegou para trabalhar bem na hora em que a quadrilha invadiu o Monte Verde. Ele chegou a omitir dos ladrões que tinha uma pistola na cintura e foi chutado até cair no chão da garagem. Assaltantes disseram a ele que, se fosse policial militar, seria morto na hora.

No prédio, agora o clima é de pânico e silêncio. "As pessoas estão com medo, ninguém quer falar. Só posso dizer que foi um homem com roupa dos Correios", afirmou um funcionário do condomínio.

No distrito policial onde o caso foi registrado o modo como o bando atuou surpreendeu. "Eles foram muito ruins, não têm nada a perder", comentou um policial do 6.º Distrito Policial (Cambuci). O crime será apurado no Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), onde existe uma delegacia especializada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.