Quadrilha é presa em posto assaltado mais de cem vezes em um ano

Em Diadema, na Grande SP, agentes do Garra montaram campana e detiveram quatro ladrões em flagrante

Bruno Lupion, do estadão.com.br,

15 de abril de 2011 | 03h30

SÃO PAULO - A Polícia Civil prendeu quatro homens que tentavam roubar um posto de gasolina em Diadema, na Grande São Paulo, na noite de quarta-feira, 14. Ocorrência corriqueira, não fosse um detalhe: o local foi assaltado mais de cem vezes em 2010 e, apenas neste ano, cerca de trinta vezes, segundo a polícia.

 

Homens do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) de Diadema foram informados da repetição dos crimes no estabelecimento da Avenida Alda, e montaram uma operação para prender os ladrões.

 

Durante dois dias, agentes disfarçados de frentistas trabalharam no posto nos horários de maior incidência dos crimes, mas não houve nenhum assalto. No terceiro dia, os policiais decidiram montar campana em um veículo descaracterizado, em frente ao posto, e, por volta das 20h30, flagraram a quadrilha tentando roubar o dinheiro do caixa e o Celta de uma família que abastecia o veículo.

 

Os quatro ameaçaram as vítimas com uma pistola de plástico e acabaram presos. Apresentados aos frentistas, foram reconhecidos como autores de diversos assaltos ao estabelecimento nas últimas semanas. "Um dos detidos confessou envolvimento em pelo menos trinta roubos naquele local", disse o policial Marcelo Luiz Nascimento.

 

Luiz Carlos Cerqueira dos Santos, de 19 anos, com passagem por roubo e tráfico; José Carlos Vanderlei Gomes, de 19; Hamilton Marins de Andrade, de 21; e Gilliard da Silva Candido, de 21, foram autuados em flagrante no 1º Distrito Policial.

 

Segundo Nascimento, os quatro são moradores da Favela do Pantanal, na divisa de São Paulo com Diadema.

 

Texto atualizado às 6h50.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.