Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Quadrilha é presa após manter casal refém na zona sul de SP

Vítimas foram rendidas quando chegavam em casa; criminosos fizeram saques e compras com cartão do banco

Daniela do Canto, da Central de Notícias,

14 de agosto de 2009 | 08h04

Quatro pessoas foram presas na madrugada desta sexta-feira, 14, acusadas de participarem do sequestro relâmpago de um casal na noite anterior, na zona sul de São Paulo. Dois suspeitos foram capturados ao se depararem com policiais militares na Avenida Senador Teotônio Vilela, em Interlagos. Os outros dois - um casal - foram localizados dentro de um motel na Avenida Robert Kennedy, na Capela do Socorro. Os reféns foram resgatados em estado de choque, mas não sofreram ferimentos.

 

As vítimas - um microempresário de 35 anos e uma esteticista de 22 - foram rendidas quando chegavam em casa em um Chevrolet Corsa, na região da Avenida Nossa Senhora do Sabará, no Campo Grande, por volta das 21 horas. Dois homens, identificados como Ivan Vieira de Freitas e Edmilson Sampaio Sodré de Souza, fizeram com que o casal passasse para o banco de trás. Segundo a Polícia Militar (PM), Souza estava armado com um revólver calibre 38.

 

Com as vítimas dominadas, os criminosos se dirigiram a uma rua próxima para pegar um casal de comparsas, identificados como Ivan Soares de Sá e Samantha Rodrigues Braga. Os quatro criminosos levaram as vítimas até a região de Parelheiros, no extremo sul da cidade. No percurso, fizeram diversos saques em caixas eletrônicos das contas das vítimas. A polícia ainda não tem o valor exato da quantia retirada.

 

De acordo com a PM, em Parelheiros os sequestradores passaram na casa de parentes e deixaram mantimentos e bebidas comprados com os cartões das vítimas, além de parte do dinheiro sacado. No percurso de volta, Sá e Samantha foram deixados em um motel na Avenida Robert Kennedy.

 

Quando passavam pela Avenida Senador Teotônio Vilela, Freitas e Souza se depararam com policiais das Rondas Ostensivas com o Apoio de Motocicletas (Rocam). Assustados, eles pararam o carro e correram para um hipermercado, mas terminaram presos em seguida. Conforme os policiais, Souza já tinha passagens por roubo e furto. As vítimas, que permaneceram amarradas no banco traseiro do veículo, foram resgatadas pelos PMs.

 

"Os dois estavam em estado de choque, choraram bastante", afirmou o soldado André Ferreira, do 27º Batalhão da Rocam. Os dois detidos indicaram o motel onde os comparsas estavam. Dentro do quarto, os policiais encontraram ainda uma adolescente de 17 anos, que foi levada ao 101º Distrito Policial (Jardim das Embuias). Segundo a PM, ela seria ouvida como testemunha e liberada em seguida. Foram recuperados os pertences roubados das vítimas, como carteiras e celulares, além de parte do dinheiro.

 

Vizinho consegue falar com vítima

 

Uma testemunha presenciou a ação dos criminosos no momento em que eles abordaram as vítimas e avisou um vizinho do casal. "Esse rapaz viu as pessoas abordando e colocando ele (o microempresário) no carro. Como eles saíram cantando pneu a pessoa estranhou, porque ele é muito calmo, e me avisou", contou o vizinho, também microempresário, de 43 anos.

 

Preocupado, ele entrou em contato com o amigo pelo rádio Nextel. "Como ele (a vítima) estava com uma arma apontada para a cabeça o tempo todo, teve de dizer que estava tudo bem. Mas eu fiquei desconfiado e fui até a delegacia. Depois, fiquei sabendo que ele tinha sido encontrado", relatou o vizinho. Ainda conforme o amigo, a vítima tentou se passar por um empregado de oficina mecânica. "Mas não colou, eles (os bandidos) são espertos e perceberam que não era isso".

 

No motel

 

Além dos mantimentos, os suspeitos usaram o cartão das vítimas para pagar antecipadamente a conta do motel. Eles gastaram, ao todo, R$ 140,00 entre o preço do quarto número 9, comida e bebidas. Foram consumidas duas cervejas, uma bebida ice, um maço de cigarros, uma porção de frango e um jantar.

 

Os policiais que foram até o motel se identificaram na portaria, confirmaram o número do quarto e foram até lá como se fossem funcionários do estabelecimento. Eles disseram ser do serviço de quarto. Quando os suspeitos abriram a porta, foram detidos. Conforme a PM, o casal aguardava no motel a volta dos dois comparsas.

Tudo o que sabemos sobre:
sequestro relâmpagoquadrilha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.