Puxado por NE e Norte, total de motos triplica

O estudo do Observatório das Metrópoles mostra que o aumento da frota de motocicletas foi ainda maior do que o de carros. Embora a média tenha ficado em 289% de crescimento na década, segundo o estudo, há regiões metropolitanas do País em que a frota foi multiplicada por oito: crescimento de 708%, como no caso de Belém. Na década, foram emplacadas 3,1 milhões de motos nas 12 principais metrópoles brasileiras.

O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2012 | 03h02

A grande diferença, segundo o levantamento, é que a maior parte das motos que circulam no Brasil não está nas grandes cidades: 76% delas ficam nos municípios com populações pequenas ou médias. Entre os carros, 44% da frota está nas 12 regiões metropolitanas avaliadas.

Com o aumento da proporção de motos nas pequenas e médias cidades, cresce a concentração de mortes com esse tipo de veículo. Segundo o Ministério da Saúde, 65 mil pessoas morreram em acidentes de moto na década passada - e os maiores índices de casos por habitante estão nas pequenas cidades do Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Entretanto, São Paulo, que teve aumento de 260% do número de motos e responde pela maior frota do País, com 1,4 milhão de veículos, registrou só no ano passado crescimento de 7,1% nas mortes de motociclistas - foram 512 ocorrências registradas na capital paulista.

Em Belém, parte do crescimento da frota de motos pode ser explicada pelo uso desses veículos para o transporte de passageiros. Mas, na avaliação do coordenador da Unidade Central de Planejamento do Departamento de Trânsito (Detran) do Pará, Carlos Valente, isso acabou revelando um problema: muitos mototaxistas trabalham sem habilitação e com o veículo irregular.

Cerca de 2 mil mototaxistas estão cadastrados na capital. O número de clandestinos, porém, pode ser até oito vezes maior.

O crescimento da frota de motos no Pará não dá sinais de enfraquecimento. No Estado, em 2011, foram registradas 65 mil motos. Só no primeiro semestre deste ano foram 40 mil. O Estado é dono da maior frota de motos do Norte, com quase meio milhão de veículos. / B.R. e CARLOS MENDES, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.