Publicitária é encontrada morta em apartamento em São Paulo

Marisa Mitsue Toma, de 33 anos, foi encontrada morta, no Alto de Pinheiros, com uma faca cravada no peito

Ricardo Valota, do estadao.com.br,

22 de agosto de 2009 | 09h34

A publicitária Marisa Mitsue Toma, de 33 anos, foi encontrada morta, por volta das 10h30 desta sexta-feira, 21, caída na cozinha de seu apartamento, no Edifício Mont Royal, na Rua Doutor Teófilo Ribeiro de Andrade, no Alto de Pinheiros, zona oeste da capital paulista.

 

Segundo nota da Secretaria de Segurança Pública (SSP), a empregada de Marisa, ao chegar no apartamento pela manhã, encontrou a porta do imóvel aberta. A publicitária estava com o corpo ensanguentado e tinha uma faca cravada no peito. Outra faca estava ao lado do corpo. A empregada então dirigiu-se a apartamento vizinho e pediu ajuda para acionar a polícia.

 

Ainda segundo a SSP, o caso foi registrado no 14º Distrito Policial, de Pinheiros, como homicídio, pelo delegado Fernando Antônio Cauduro Terzidis, e será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A polícia não descarta a hipótese de suicídio, pois aparentemente nada foi levado do imóvel, cujo interior não estava revirado nem apresentava sinais de luta.

 

Marisa era formada pela Universidade de São Paulo e pós-graduada em Administração de Empresas pela Harvard University. Em agosto de 2008, ela foi contratada pela agência Sinc para trabalhar como gerente de Mídia. A publicitária também trabalhou na AgênciaClick, onde coordenou as áreas de Social Media e Planejamento, e na Leo Burnett, como gerente de Planejamento. Já atendeu clientes como Citibank, Sadia, Coca-Cola, Multibrás, Bradesco, TIM, SKY, Brasil Telecom, Visa, entre outros.

 

O corpo de Marisa será velado até as 12 horas deste sábado, 22, no Cemitério do Araçá, região de Perdizes, na zona oeste. O enterro ocorre no Cemitério de Camilópolis, em Santo André, no ABC Paulista.

Tudo o que sabemos sobre:
publicitária mortaalto de pinheiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.