Publicitária diz ter sido vítima de racismo na Avenida Paulista

Senhora tratada como doente mental pela polícia teria chamado mulher de 'macaca' e 'negra favelada'

Ricardo Chapola, O Estado de S. Paulo

02 de dezembro de 2012 | 15h07

Texto atualizado às 18h53

 

SÃO PAULO - A publicitária Karina Chiaretti, de 42 anos, diz ter sido vítima de racismo na Avenida Paulista, uma das mais importantes de São Paulo, na última sexta-feira, 30. Karina estava acompanhada de sua filha, de 9 anos, na galeria Top Center quando uma senhora, Davina Aparecida Castelli, começou a ofendê-la depois de tê-las visto. Segundo relatou ao Estado, Davina teria chamado Karina de "macaca" e de "negra favelada".

"Fomos almoçar e depois fui comprar esmaltes para minha filha. Ouvi barulho. A senhora já estava ofendendo outras pessoas. Quando entrei na loja, ela passou por mim e falou: 'eu não gosto de negro. Negro é sujo. Deveria ser proibida a entrada deles aqui. Negro é imundo'", contou Karina. "Minha filha começou a chorar. Liguei para a polícia".

A polícia, afirmou, chegou rápido. Karina disse que a senhora que a agrediu continuou aos berros, ofendendo outras pessoas, e que exigiu ter um policial branco ao seu lado. A caminho da delegacia, a senhora teria pedido ao policial que a levasse para casa para tomar remédio, já que passava mal. Ao chegar lá, ela se trancou dentro de casa e não prestou o depoimento.

Segundo Karina, o policial teria alegado que a senhora tinha doença mental.

O Estado procurou a Policia Civil. Segundo a assessoria, Davina deverá prestar depoimento porque seu nome e endereço constam no BO.

Não é a primeira vez que a mesma senhora se envolve em episódios de discriminação racial. Vídeos na internet mostram reportagem feita em 2011 sobre um flagrante da mesma mulher xingando um deficiente físico. Segundo a PM, na época ela teria pedido para que eles recolhessem "esse lixo, este macaco".

A senhora também agrediu os policiais após ter recebido voz de prisão: "Eu não vou! Seus vagabundos, idiotas! Analfabetos! Sai da minha frente!", registra o vídeo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.