Psicóticos têm capacidade de planejamento

Surtos podem ser desencadeados por drogas, afirmam psiquiatras; irmão diz que Cadu mudou de atitude após frequentar igreja

Elvis Pereira, JORNAL DA TARDE, O Estadao de S.Paulo

18 Março 2010 | 00h00

Incomum, mas não impossível. Pacientes com alucinações e delírios podem manter parte da capacidade de raciocínio e planejar ações. A explicação seria uma hipótese para o comportamento do estudante Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, de 24 anos, assassino do cartunista Glauco Vilas Boas, de 53 anos, e o filho dele Raoni, de 25.

"O fato de ele ter planejado não significa por si só que ele não estava psicótico", explicou o coordenador do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), Daniel Martins de Barros. "A psicose não impede de forma absoluta a capacidade de planejamento."

Isso significa que, às vezes, a pessoa é capaz de reconhecer os pais, saber o que representa a polícia e ao mesmo tempo acreditar ter superpoderes ou ser um profeta. Tal capacidade permitiria a um esquizofrênico organizar um ato com antecedência.

Surtos. Em 21 de dezembro, por exemplo, o personal trainer Alessandre Fernando Aleixo, diagnosticado com a doença, viajou de ônibus de Itapetininga, no interior paulista, até a capital, invadiu a Livraria Cultura do Conjunto Nacional, nos Jardins, zona sul, e agrediu um jovem com um taco de beisebol.

Além da esquizofrenia, uma série de doenças pode provocar surtos psicóticos. O diagnóstico exato depende de uma avaliação feita por um psiquiatra, ao qual, até gora, Nunes não foi submetido. O exame, segundo o advogado do jovem, Gustavo Badaró, tem de ser feito pela Justiça.

Barros ressaltou, entretanto, que a doença isoladamente não torna o suspeito inimputável, o que o levaria a cumprir uma medida num hospital psiquiátrico, e não a pena determinada no Código Penal.

Perícia define psicose. "É possível definir na perícia se na hora do crime ele estava em quadro psicótico", afirmou o especialista. A partir dessa análise, a Justiça pode considerar até que ponto a doença contribuiu para a atitude do assassino.

Dois psiquiatras disseram anteontem à reportagem que Nunes também pode apresentar transtorno de personalidade ou que o uso contínuo da maconha possa ter desencadeado esquizofrenia ou o surto psicótico. Eles listaram, ainda, o chá ingerido durante os rituais da doutrina Santo Daime, cujo potencial é alucinógeno.

Mudança de atitude. Carlos Augusto Sundfeld, de 22 anos, afirmou que o irmão mais velho passou a agir de forma diferente após começar a frequentar, há cerca de três anos, a Igreja Céu de Maria - fundada por Glauco -, que fica na mesma chácara onde o cartunista e o filho foram assassinados, em Osasco, na Grande São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.