Psicóloga é presa por fraude em teste de CNH

Ela é acusada de fazer exames físicos para obtenção da carteira de habilitação, tarefa[br]exclusiva de médicos

Marcelo Godoy, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2010 | 00h00

A psicóloga Michelle Gobbo Gomes, de 31 anos, foi presa ontem em flagrante sob a acusação de fraudar exames médicos de candidatos a motoristas em São Paulo. Ela foi surpreendida, de acordo com a polícia, executando uma tarefa que só podia ser feita por um médico: o exame físico para a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Além dela, a polícia investiga a suposta participação da médica Veridiana Valente Meuleman no caso. Michelle negou o crime, assim como a médica. Uma denúncia feita há três meses levou a polícia a investigar o suposto esquema de fraude em clínica médica localizada na Estrada do Campo Limpo, na zona sul de São Paulo.

De acordo com o delegado Carlos José Paschoal de Toledo, diretor do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), foi a primeira vez que os homens do departamento conseguiram fazer uma prisão em flagrante com base em fraude em exames médicos para a obtenção de CNH.

"A psicóloga usava um dedo de silicone para fazer os exames como se fosse o médico", afirmou Toledo. Os policiais desconfiam que cinco exames eram fraudados por dia na clínica. Os policiais frequentaram o local para verificar quem de fato fazia os exames dos candidatos.

Na tarde de ontem, depois de terem certeza de que não havia médicos no lugar, abordaram um dos pacientes que havia deixado a clínica e perguntaram quem o havia examinado. Foi então que a pessoa apontou a psicóloga. Ela foi presa e acusada de falsidade ideológica e exercício ilegal da medicina. "Os candidatos a motoristas não sabiam que não eram examinados por um médico", disse o delegado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.