Psicóloga assassinada na porta de casa é enterrada em SP

Renata tinha acabado de levar filhos para escola quando foi supreendida por dois homens em uma moto

da Redação, estadao.com.br

07 de novembro de 2008 | 14h17

O corpo da psicóloga Renata Novaes Pinto, de 44 anos, morta a tiros na manhã de quinta-feira, em frente a sua casa, na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo, foi enterrado por volta das 12h10 desta sexta-feira, 7, no Cemitério do Morumbi. Segundo a administração do hospital, cerca de 400 pessoas acompanharam o enterro. O velório foi reservado aos familiares e amigos e a imprensa não teve acesso ao local.  A psicóloga foi baleada na cabeça por volta das 7h15 em frente a casa onde morava, na rua Judith, perto da rua Beatriz. Nada foi roubado. A Polícia Civil analisa imagens captadas por câmeras de edifícios vizinhos. O delegado Jorge Carrasco, da 3ª Seccional, descartou a hipótese de latrocínio, roubo seguido de morte. "O crime tem características de execução", afirmou o delegado.  Ela trabalhava no departamento de psiquiatria da Unifesp e era responsável pelo atendimento de pacientes com câncer - muitos com pouco tempo de vida pela frente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.