PSDB quer coronel Telhada na Comissão de Direitos Humanos

O PSDB pretende indicar o coronel Paulo Adriano Telhada, vereador eleito, como integrante da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. A decisão foi discutida internamente no partido nas últimas semanas e a indicação deve sair em fevereiro.

JULIA DUAILIBI, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2012 | 02h01

Comandante da Rota entre 2009 e 2011, Telhada foi eleito em outubro com o slogan "Uma Nova Rota Política para São Paulo", com mais de 89 mil votos. Em três décadas na PM, matou 36 suspeitos.

Ainda neste ano, Telhada foi citado no inquérito que investiga ameaças ao jornalista André Caramante, da Folha de S. Paulo. Elas tiveram início após reportagem em que o jornalista acusava o coronel de pregar a violência no Facebook. Telhada pediu que seus seguidores enviassem protestos ao jornal, mas negou ligação com as ameaças.

Com a indicação do PSDB, o coronel seria o representante do partido nas discussões sobre esse tema no Legislativo paulistano. A presidência da comissão, no entanto, pode ficar com o PT. O PSDB diz que a indicação faz sentido porque a comissão aborda também a questão da segurança pública. Chama-se Comissão Extraordinária de Direitos Humanos, Cidadania, Segurança Pública e Relações Internacionais.

A disputa pelo comando e por vagas em comissões já movimenta os bastidores políticos da Câmara. A tendência hoje é de que a presidência da Comissão de Constituição e Justiça fique com o atual presidente da Casa, José Police Neto (PSD). O PT ou o PV pode ficar com a presidência da Comissão de Finanças. O PSB pleiteia Educação e o PT também quer Saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.