PSC vai ao STF contra CNJ

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) enfrentará a acusação de que exorbitou seus poderes ao regulamentar o casamento gay. O Supremo Tribunal Federal (STF) será acionado para decidir se a resolução do órgão de controle e fiscalização do Judiciário está ou não de acordo com a Constituição.

Mariângela Gallucci, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2013 | 02h01

Ontem, o PSC anunciou que questionará no STF a regra. Para hoje, é esperada manifestação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O vice-presidente do PSC, Everaldo Pereira, informou que assessores jurídicos trabalham na elaboração de uma ação direta de inconstitucionalidade (ADI) para tentar derrubar o casamento gay.

"Nosso entendimento é de que foi uma decisão desastrosa, inconveniente e inconstitucional", disse Pereira. Segundo ele, o PSC vai protocolar a ação "o mais breve possível". "Detectamos que há uma insatisfação de parcela majoritária da sociedade brasileira (com a decisão)."

O partido tem entre seus filiados o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Marco Feliciano. O deputado foi alvo de protestos após ter dado declarações polêmicas sobre homossexuais. Para ele, no Brasil há uma "ditadura gay".

Até entre integrantes do STF há dúvidas sobre a validade do ato do CNJ. Há um entendimento de que o órgão teria ido além do que definiu a Corte em 2011, quando houve o reconhecimento da união estável gay. Gilmar Mendes já afirmou que aquela decisão não tratou de casamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.