Protestos nos arredores da sede do governo de SP são proibidos

Resolução obriga que manifestações na região do Palácio dos Bandeirantes sejam desviadas para outro local

da Redação , estadao.com.br

16 de outubro de 2008 | 18h30

Segundo uma resolução da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, as vias públicas nos arredores do Palácio dos Bandeirantes não podem ter manifestações populares por ser uma área considerada de segurança. O governo do Estado enviou comunicado nesta quinta-feira, 16, com a informação para justificar o motivo pelo qual a PM impediu os policiais civis de seguirem com a manifestação.   Veja também: Hospitais atenderam 17 feridos em confronto entre polícias Policiais civis e militares entram em confronto no Morumbi Serra culpa CUT e PT por confronto entre polícias Força Sindical repudia confronto entre PM e Polícia Civil  Não acompanho 'detalhe', afirmou Serra Antes da manifestação, Serra disse que 'não negocia com greve'   Sem acordo, greve completa um mês  Todas as notícias sobre a greve      A nota explica que todos os protestos realizados na região das avenidas Morumbi e Giovani Gronchi e das ruas Combatentes do Gueto, Rugero Fazzano e Padre Lebret, são desviados para outros locais, obrigatoriamente. A zona delimitada como Área de Segurança está decretada através da resolução 141, de 20 de outubro de 1987.     Veja a íntegra da nota:   As vias públicas situadas ao redor do Palácio dos Bandeirantes, sede do Poder Executivo Estadual, são consideradas pela Resolução SSP (Secretaria de Segurança Pública) 141, de 20/10/1987, Área de Segurança. Por esse motivo, todas as manifestações populares programadas para esses locais são obrigatoriamente desviadas para áreas próximas, que não se encontram na zona delimitada pela resolução, que abrange as avenidas Morumbi e Giovani Gronchi e as ruas Combatentes do Gueto, Rugero Fazzano e Padre Lebret.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.