Protestos nas ruas mudaram a agenda

Os protestos de junho, liderados pelo Movimento Passe Livre, mudaram a agenda dos políticos em todo o País. A questão do transporte público não estava tão incisiva como agora. Até acho que a criação das faixas exclusivas de ônibus era um paradoxo em relação ao Arco do Futuro, que prioriza obras viárias. Então, é justificável a decisão do governo de desistir de construir duas grandes avenidas. Diante da mudança na agenda de prioridades, foi também uma decisão acertada da atual gestão desistir do túnel de R$ 2 bilhões entre a zona sul e a Imigrantes. Essas obras não são mais prioridade para a população.

ANÁLISES: Marco Antonio Teixeira, É CIENTISTA POLÍTICO DA FGV, ANÁLISES: Marco Antonio Teixeira, É CIENTISTA POLÍTICO DA FGV, O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2013 | 02h09

E essas metas excluídas foram discutidas com a sociedade antes, em audiências. Houve uma discussão desta vez. De todo modo, é complicado abandonar uma plataforma eleitoral, apresentada como prioridade no debate do ano passado. O Haddad com certeza vai sofrer desgaste na classe média.Mas ainda assim avalio como uma medida que era necessária diante das atuais circunstâncias. A cidade precisa e deve priorizar neste momento o transporte coletivo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.