Protestos acabam com PM e criança baleados

Na zona sul, bandidos passaram de carro por manifestação e atiraram em criança; na zona norte, sargento foi ferido em troca de tiros com bando

Marcelo Godoy e Renato Vieira, O Estado de S. Paulo

22 Junho 2013 | 00h14

SÃO PAULO - Uma criança e um policial militar foram baleados na noite de sexta-feira, 21, durante as manifestações na cidade de São Paulo. Segundo a Polícia Militar, os feridos foram levados a prontos-socorros da zona leste e da zona sul e ninguém tinha sido foi preso até as 23h.

O sargento da Polícia Militar Francisco Daniel da Silva foi baleado por volta das 20h30 no Viaduto Curuçá, na Vila Curuçá, na zona norte. Segundo a PM, tiros de fuzil foram disparados do alto de casas da Favela Marconi e um deles atingiu o sargento. Duas blazers da Rota e um furgão da tropa de choque foram enviados ao local após os disparos - oficiais estavam com escopetas e submetralhadoras. Silva fazia escolta dos manifestantes que caminhavam na Avenida Guilherme Cotching em direção à Via Dutra. Na região, cerca de 300 pessoas partiram de forma pacífica da Igreja Candelária até a via. No viaduto Curuçá, um grupo jogou fogo em duas caçambas de lixo e os bombeiros foram chamados para apagar as chamas.

Na Dutra, o mesmo grupo de cerca de 20 pessoas saqueou diversos veículos, entre eles um furgão dos Correios. Foram levados celulares, remédios, frascos, travesseiro e cobertores. A Polícia Rodoviária Federal deu tiros para o alto para dispersar manifestantes. Adiante, manifestantes fizeram barricada na via.

Na Estrada de Itapecerica, na zona sul, uma criança foi atingida na perna às 20h45 quando criminosos passaram atirando em direção aos 600 manifestantes que estavam no local. A criança foi encaminhada ao Pronto-Socorro de Campo Limpo. Não há informações sobre seu estado de saúde.

Mais conteúdo sobre:
protestosdutrasão paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.