Protesto vai lembrar mortos no trânsito

Parentes de vítimas de acidentes de trânsito farão manifestação contra a violência e a impunidade no domingo, na frente do portão 4 do Parque do Ibirapuera, zona sul de São Paulo. "Não queremos deixar a data passar em branco", diz o empresário Nilton Gurman, referindo-se ao Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito, instituído em 2005 pela Organização das Nações Unidas (ONU) e celebrado no terceiro domingo de novembro.

PAULO SAMPAIO, O Estado de S.Paulo

17 Novembro 2011 | 03h02

Nilton é tio de Vitor Gurman, administrador de 24 anos que morreu em julho, após ser atropelado pela nutricionista Gabriella Guerrero Pereira na Vila Madalena, zona oeste.

A iniciativa da manifestação foi da deputada federal Keiko Ota (PSB-SP), mãe do garoto Ives, sequestrado e morto há 14 anos, quando tinha 8. "A manifestação é para protestar contra a violência e a impunidade no País de maneira geral", diz a deputada, fundadora do grupo União em Defesa das Vítimas de Violência.

Ela é uma das que participam do movimento criado pelo site www.naofoiacidente.org, que pretende recolher assinaturas e abrir petição pública para mudar a lei que regula acidentes envolvendo motoristas embriagados. O site foi fundado pelo palestrante Rafael Baltresca, de 31 anos. No dia 17 de setembro, ele perdeu a mãe e a irmã, atropeladas na frente do Shopping Villa-Lobos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.