Protesto tem confronto, incêndio e paralisação de trens na zona leste de SP

Manifestação começou às 16h30; trens voltaram a circular às 20h e ainda há policiais no local

Laura Maia e Mateus Fagundes, O Estado de S. Paulo

17 de outubro de 2013 | 20h12

Atualizada às 21h13

SÃO PAULO - Um protesto contra a reintegração de posse de um terreno da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano de São Paulo (CDHU) tem confronto entre manifestantes incêndio em galpões e paralisou trens no Jardim Pantanal, zona leste de São Paulo.

O protesto começou por volta de 16h30. Cerca de 180 pessoas ocuparam trilhos da linha 12 Safira da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) com barricadas e interromperam a circulação de trens. Elas seguiram pela Avenida Doutor Assis Ribeiro, onde bloquearam os dois sentidos.

A Polícia Militar foi chamada e houve confronto com moradores. Bombas de efeito moral foram usadas para conter o protesto. Os manifestantes dispersaram e um grupo ateou fogo a galpões na região. O Corpo de Bombeiros enviou duas viaturas, que combateram o incêndio.

Os trens da CPTM voltaram a circular às 20h entre as estações Brás e Jardim Helena, com intervalos maiores. O trânsito no local é complicado, inclusive com reflexos na Rodovia Ayrton Senna.

Às 20h30, recomeçaram os confrontos entre policiais e manifestantes, após cerca de uma hora de trégua. Policiais da tropa de choque chegaram ao local. A PM usa bombas de efeito moral para dispersar o protesto.

Moradores começam a sair da comunidade, com medo do tumulto. "Vou ter que levar meus filhos para casa dos meus pais por causa das bombas, minha filha tem bronquite. Eles [os policiais] jogaram bomba no meu quintal.  É um absurdo", disse a moradora Cleonice Pereira, de 29 anos.

Posse. A reintegração foi autorizada pela Justiça e está marcada para novembro. Por meio de nota, a CDHU informa que o terreno foi invadido nos dias 6 e 7 de setembro por moradores da União Vila Nova, vizinha ao terreno. Segundo a companhia, as áreas ocupadas são destinadas a implantação de praças, ruas, escolas e urbanização. / COLABORARAM LARISSA FAFÁ E TERESA DIAS, ESPECIAL PARA O ESTADO.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.