Protesto reúne 70 em memória de brasileiro

Cerca de 70 pessoas protestaram ontem em frente ao Consulado Geral da Austrália, nos Jardins, na zona sul de São Paulo, pedindo celeridade na apuração da morte do estudante brasileiro Roberto Laudisio Curti, de 21 anos. Beto, como era conhecido, foi morto em Sydney, há duas semanas, quando policiais australianos o atingiram com disparos de choques elétricos, por uma pistola Taser. A perseguição ocorreu após ele ser suspeito de roubar um pacote de biscoito em uma loja de conveniência.

O Estado de S.Paulo

01 Abril 2012 | 03h03

O protesto foi organizado por amigos e parentes de Beto. Cada manifestante trouxe pacotes de biscoito e os colocavam sobre uma faixa com os dizeres "Para sempre Betão". Cerca de 400 pacotes foram trazidos pelos manifestantes e serão doados a duas ONGs na cidade. Segundo o estudante Victor Alvarenga, amigo de Beto desde a 4.ª série e um dos organizadores do protesto, o motivo da manifestação é pedir mais transparência nas investigações sobre as circunstâncias que envolveram a morte do brasileiro. / RODRIGO BURGARELLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.