Protesto reúne 500 contra fim da Feira da Madrugada

Cerca de 500 comerciantes da Feira da Madrugada, no Pari, região central, fizeram uma passeata na manhã de ontem para protestar contra a decisão da Prefeitura de retirá-los do local até o dia 9. Após caminhar até a sede do governo, o grupo enviou um representante para tentar conversar com o prefeito Fernando Haddad (PT).

ANDRÉ CABETTE FÁBIO, O Estado de S.Paulo

04 Maio 2013 | 02h06

Os comerciantes reclamam que a Prefeitura não informou para onde eles serão levados nem onde poderão colocar suas mercadorias. Também afirmam que o prazo para deixar o terreno da feira é muito curto e está perto do Dia das Mães, uma das datas de maior movimento no local. A retirada dos comerciantes foi determinada pela Prefeitura nesta semana, após pedido do Ministério Público, que detectou falta de segurança no local. "Concordamos em fazer uma reforma, mas a gente quer trabalhar", afirmou o comerciante José Laerte de Souza, de 44 anos.

Uma das propostas do grupo é que a reforma seja feita aos poucos. Segundo um dos líderes, Gilson Roberto de Assis, os comerciantes estão dispostos a ficar até um mês parados para a reforma do local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.