Protesto fecha Marginal Tietê e motoristas são assaltados

Moradores de conjunto habitacional fecharam pista local duas vezes entre final da tarde e noite de segunda

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

19 de fevereiro de 2008 | 03h05

Um protesto de moradores de um conjunto habitacional de Cingapura fechou por duas vezes a pista local marginal Tietê, na zona norte da capital paulista, entre o final da tarde e noite de segunda-feira, 18. A primeira manifestação ocorreu no sentido Ayrton Senna/Castelo Branco, junto à Avenida Tenente Amaro Felicíssimo da Silveira, região da Vila Maria.   O protesto, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), era pelo fim do Regime Disciplinar Diferenciado, o RDD, nos presídios do Estado. A Polícia não soube informar o número de manifestantes ou de policiais que participaram da operação para liberar as vias. A Vila Maria, segundo informações policiais, é um dos principais redutos do Primeiro Comando da Capital (PCC), em São Paulo. A maior parte das lideranças da facção criminosa já foi submetida ao RDD, inclusive a liderança máxima do PCC, Marcos Camacho, o Marcola.   Houve confronto entre os manifestantes e os policiais. Durante o protesto, pelo menos quatro motoristas, presos no engarrafamento, foram assaltados. Boletins de ocorrência foram registrados no 90º Distrito Policial, do Parque Novo Mundo. Os moradores atearam fogo em pneus, bloqueando a pista local por quase uma hora, até que policiais militares da Tropa de Choque chegaram e liberaram a via.   A segunda etapa do protesto ocorreu na Avenida Tenente Amaro, próximo ao local anterior, onde permaneceu até por volta de 22 horas. Devido à interdição, cerca de 300 funcionários de empresas de transportes de cargas do Parque Novo Mundo ficaram retidos, sem poder voltar para casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.