Luiz Fernando Toledo/Estadão
Luiz Fernando Toledo/Estadão

Protesto fecha Avenida Paulista contra prisão de servidor da USP

Fábio Hideki Harano foi detido durante ato contra a Copa na segunda-feira; cerca de 300 pessoas participaram do ato

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo - Atualizado às 22h50

26 de junho de 2014 | 19h41

SÃO PAULO - Cerca de 300 pessoas participaram de um ato na Avenida Paulista, na noite desta quinta-feira, 26, em protesto contra a prisão do servidor e estudante da USP Fábio Hideki Harano. Ele foi detido na segunda-feira, durante protesto contra a Copa do Mundo, em São Paulo, sob suspeita de cometer atos de vandalismo e associação criminosa.

Os manifestantes se reuniram no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), por volta das 17 horas, e começaram a marchar às 19 horas, quando fecharam uma pista da Avenida Paulista, no sentido Consolação. 

A Tropa de Choque acompanhou a manifestação. Os ativistas levaram faixas que exigiam a libertação imediata de Harano. Os cartazes também pediam a saída do secretário da Segurança Pública Fernando Grella. Em frente aos PMs, os manifestantes cantaram "que vergonha deve ser reprimir trabalhador para ter o que comer". 

Mais cedo, policiais da Tropa de Choque fizeram vistorias em manifestantes no vão livre do Masp. Segundo um tenente que não quis se identificar, o ato foi apenas preventivo, considerando que nos últimos protestos, segundo ele, manifestantes carregavam em suas mochilas alguns objetos para atacar policiais. 

Tudo o que sabemos sobre:
Protesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.