Protesto encerra sessão na Câmara

Grupo se manifestava contra a aprovação definitiva do aumento do IPTU; manifestantes foram expulsos da Câmara pelo presidente da Casa, José Américo (PT)

Adriana Ferraz,

30 de outubro de 2013 | 18h43

No dia seguinte à aprovação definitiva do aumento do IPTU, as poucas pessoas que foram protestar no mezanino da Câmara Municipal nesta quarta-feira à tarde, dia 30, acabaram expulsas pelo presidente da Casa, José Américo (PT). Segundo ele, os manifestantes desacataram os parlamentares ao promover gestos obscenos e impedir a fala dos vereadores inscritos.

Américo chegou a pedir para a Polícia Militar retirar quem protestava e levar a um distrito policial, o que não ocorreu. Em seguida, a sessão foi encerrada. O vereador Reis (PT) pediu verificação de presença e não havia vereadores em número suficiente para os trabalhos continuarem. Segundo a assessoria de imprensa da Presidência, o petista apenas cumpriu o regimento, que permite a presença da população em plenário, mas não a sua manifestação.

Diferentemente dessa terça-feira, dia 29, quando o plenário ficou lotado até às 23h55, a sessão estava esvaziada e durou pouco menos de duas horas. Nenhum projeto foi votado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.