Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Protesto de taxistas complica o trânsito em São Paulo

Mais de 200 profissionais participaram de carreata entre o Aeroporto de Congonhas e a Prefeitura; categoria é contra decisão judicial que proíbe a renovação, a transferência e a venda de alvarás

Gabriela Vieira e Laura Maia , Agência Estado

09 de setembro de 2013 | 11h10

SÃO PAULO - Mais de 200 taxistas fizeram uma carreata na manhã desta segunda-feira, 9, no Corredor Norte-Sul, sentido Aeroporto de Congonhas, e depois retornaram até a sede da Prefeitura, no centro de São Paulo. O protesto, organizado pelo Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores das Empresas de Táxi (Simtetaxis), questiona uma decisão judicial que proibiu a Prefeitura de conceder, renovar ou transferir alvarás para taxistas, além de determinar a realização de licitação para a operação do serviço na cidade.

Segundo o diretor do Simtetaxis, Manuel Palavras, entre as reivindicações dos profissionais também estão a maior fiscalização de veículos clandestinos que fazem o trabalho dos taxistas nos hotéis da cidade, liberação e prioridade dos táxis nas faixas exclusivas de ônibus e liberação na faixa da zona azul por 30 minutos.

"Depois do nosso ato, fomos recebidos pelo Secretário de Transporte, Jilmar Tatto, que disse que os pedidos são coerentes e fáceis de serem atendidos. Duzentos e vinte 'heróis' participaram dessa carreata", afirmou Manuel Palavras.

Trânsito. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o protesto provocou mais de oito quilômetros de congestionamento no sentido aeroporto do Corredor Norte-Sul. No sentido Santana, a manifestação causava seis quilômetros de filas. Às 8h, o índice de lentidão na capital já ultrapassava os 110 km, acima da média para o dia e o horário.

Tudo o que sabemos sobre:
taxistasprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.