Protesto de motoboys segue com apenas 30 para o Municipal

Pequeno grupo protesta contra a resolução do Contran e o aumento no seguro obrigatório para motos

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

11 de fevereiro de 2008 | 11h26

O número de motoboys que protestavam na manhã desta segunda-feira, 11, no Pateo do Colégio, no centro de São Paulo, já diminuiu para cerca de 30 por volta das 11 horas. O grupo, que seguia para o Teatro Municipal, protesta contra a resolução do Contran que dispõe sobre equipamentos de segurança e também contra o aumento no seguro obrigatório para motos. O trânsito na cidade ainda sente reflexos do protesto.   Veja também: Protesto de motoboys é iniciado com atraso em SP   Os motoristas que trafegavam pela Marginal do Pinheiros encontravam um congestionamento de cerca de seis quilômetros, na pista expressa, sentido Interlagos, entre as pontes Cidade Universitária e Castelo Branco.  Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), este era o pior trecho de lentidão no período, que registrou 49 km de morosidade em toda a cidade, às 11h39.   Novas regras   O protesto acontece porque os motociclistas de todo o País devem obedecer às novas regras para o uso de capacetes. Os equipamentos precisam ter o selo de certificação do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e faixas refletivas nas laterais e na traseira. Quem for flagrado sem os itens obrigatórios de segurança fica sujeito à multa de R$ 127,69, cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e apreensão do veículo para regularização. A norma vale para todos os motociclistas, sejam motoboys ou não.   A resolução 203 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) proíbe ainda a colocação de películas na viseira e determina que elas sejam transparentes (padrão cristal) quando usadas no período noturno. No caso dos capacetes que não têm viseira, passa a ser obrigatória a utilização de óculos de proteção, que não podem ser substituídos por óculos corretivos. O uso de viseiras irregulares ou do capacete sem viseira e sem os óculos de proteção é considerado infração gravíssima. Para essas situações, a multa é de R$ 191,54 e mais sete pontos na carteira, além da suspensão do direito de dirigir e recolhimento da habilitação.

Tudo o que sabemos sobre:
motoboysprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.