Salatiel Alves de Almeida / Divulgação
Salatiel Alves de Almeida / Divulgação

Protesto de moradores bloqueia rodovia de acesso a cavernas no Vale do Ribeira

Precariedade da estrada motivou protesto na região, que depende muito do ecoturismo

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

27 Fevereiro 2018 | 18h31

SOROCABA – Um protesto de usuários contra as condições precárias da estrada interditou, nesta terça-feira (27), a rodovia Antonio Onório da Silva (SP-165), único acesso ao núcleo de cavernas do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (Petar), em Iporanga, interior de São Paulo.

+ Governo deve enviar projeto de lei para socorrer concessionárias de rodovias

A pista de terra foi fechada com pedras e troncos de árvores. Os moradores do Bairro da Serra se revezavam no local para evitar que a passagem fosse reaberta. Eles portavam cartazes com os dizeres “41 km de estrada intrafegável” e ainda “tapa-buracos não, queremos pavimentação”. O parque recebe 3 mil turistas por mês, segundo a Secretaria de Estado do Meio Ambiente. No Carnaval, os visitantes chegaram a 20 mil.

 De acordo com o empresário Salatiel Alves de Almeida, dono de uma pousada na região, muitos visitantes são turistas estrangeiros, que se assustam com a precariedade do acesso. “Todo dia tem carro quebrado por contato com os buracos e as pedras na estrada. Os turistas se aborrecem com isso e não voltam mais.” O ecoturismo é a base da economia de Iporanga. Só no Bairro da Serra são cerca de 40 estabelecimentos, entre pousadas, hotéis e campings. O Petar tem 250 cavernas cadastradas, embora poucas sejam abertas à visitação – a mais conhecida é a Caverna de Santana. A estrada dá acesso também à Caverna do Diabo, na mesma região.

Conforme Salatiel, o governo tem alegado dificuldade para pavimentar a estrada, por transpor a unidade de conservação. Ele lembra que há um precedente, pois o Estado pavimentou com blocos a rodovia Nequinho Fogaça (SP-139), cortando o Parque Estadual Carlos Botelho. O ex-prefeito de Apiaí, Nilton Passoca Toledo Silva, lembra que o governo anunciou a pavimentação da estrada em 2003, mas o recurso foi usado na modernização do aeroporto de Registro. “No ano seguinte, a estrada de Apiaí a Iporanga foi apenas perenizada com cascalho”, recorda.

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) informou que suas equipes de conservação e manutenção devem iniciar os serviços de perenização da SP-165 ainda nesta terça-feira (27), o que permitirá restabelecer o tráfego na rodovia. O DER informa também que desenvolve estudos para a pavimentação da via em 14,1 quilômetros de extensão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.