Protesto contra morte de adolescente causa lentidão na Marginal do Tietê

Pista local entre as pontes do Limão e Júlio Mesquita Neto foi liberada por volta de 13h30; motoristas tiveram de voltar na contramão

Artur Rodrigues, O Estado de S. Paulo

21 de janeiro de 2014 | 14h31

SÃO PAULO - Um grupo de cerca de 30 pessoas fechou no fim da manhã desta terça-feira, 21, a pista local da Marginal do Tietê, entre as pontes do Limão e Júlio de Mesquita Neto, sentido Rodovia Castelo Branco, em protesto pela morte de um adolescente na segunda-feira, 20. O grupo, que é morador de uma comunidade próxima do local, colocou fogo em pedaços de madeira e pneus, bloqueando toda a pista local. Motoristas tiverem que voltar na contramão para pegar a pista expressa. O trânsito ficou complicado na região, mesmo após a liberação da pista, por volta de 13h30.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e apagou as chamas. O motivo do protesto foi a morte do adolescente Elivelton Bento da Silva, de 16 anos. O jovem morreu após cair da moto em que trafegava na madrugada de segunda no sentido Rodovia Ayrton Senna da Marginal.

"Temos testemunhas de que foi a polícia que fechou a moto dele, tentando abordá-lo. O caso foi registrado como acidente de trânsito", disse um dos manifestantes, que não quis se identificar. Segundo ele, o caso está no 90º DP, na Vila Leopoldina.

Tudo o que sabemos sobre:
protestosMarginal do TietêSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.