Protesto acaba em confronto em Campinas

Manifestantes contrários à desapropriação de imóveis para a ampliação de Viracopos atiraram pneus e rojões contra a PM, que reagiu com gás lacrimogêneo

Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo

11 de julho de 2013 | 16h00

CAMPINAS - Terminou em confronto um protesto feito por moradores do bairro Campo Belo, em Campinas, que terão seus imóveis desapropriados pela ampliação do Aeroporto Internacional de Viracopos. Eles fecharam, por volta das 7h, a Rodovia Miguel Melhado Campos (SP-324), que liga o aeroporto a Vinhedo.

Em outros quatro pontos houve protesto nas rodovias da região de Campinas, na manhã desta quinta-feira, 11, no "Dia Nacional de Luta" convocado pelas centrais sindicais: Anhanguera, em Jundiaí e em Cajamar, Santos Dumont, em Campinas, e Geraldo de Barros (SP-304), em Piracicaba. Todas já foram liberadas.

No Campo Belo, o protesto pedia melhorias no bairro e o fim das desapropriações. Por volta das 10h30, quando os cerca de 500 manifestantes começaram a se dispersar, um pequeno grupo começou a atirar pneus queimados e rojões contra a Polícia Militar.

A Tropa de Choque havia montado um cordão de isolamento para impedir que os manifestantes fechassem a rodovia Santos Dumont (SP-75) ou a entrada de Viracopos. Os policiais reagiram com bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo. Por volta das 11h a pista foi liberada.

Próximo dali, na Santos Dumont, os trabalhadores da Mercedes Benz, que não entraram para o serviço, fizeram um protesto às margens da rodovia, mas não chegaram a impedir o tráfego de veículo. A movimentação, porém, provocou congestionamento.

Anhanguera. Na Rodovia Anhanguera, manifestantes fecharam a pista sentido interior na altura do km 30, em Cajamar. A concessionária AutoBAn fez um desvio no km 24, evitando maiores problemas de congestionamento.

Em Jundiaí, manifestantes fecharam a pista que dá acesso ao distrito industrial, no sentido capital, na altura do km 62. Não há paralisação do trânsito por causa do protesto do Dia Nacional de Luta.

Na Rodovia Geraldo de Barros (SP-304), entre Piracicaba e São Pedro, os manifestantes que impediram os ônibus do transporte coletivo da cidade circular até o meio-dia, fecharam as duas pistas. Nesse horário, as duas pistas da rodovia também foram liberadas.

Mais conteúdo sobre:
protesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.