Proprietários da Airbus têm parte do controle do ''Figaro''

O acidente do 447 move interesses gigantes na Europa, além daquela que pode se tornar a maior indenização da história da aviação civil mundial.

Andrei Netto, O Estado de S.Paulo

18 Maio 2011 | 00h00

Na França, as relações de capital entre as empresas envolvidas são muito particulares. O jornal Le Figaro, por exemplo, é de propriedade da holding Socpresse, 100% detida pelo construtor aeronáutico Dassault. Do capital total da Dassault, 46,32% das ações pertencem ao grupo EADS. E a EADS é proprietária da Airbus.

Frente às acusações que recaíram sobre os pilotos do Airbus, o Sindicato Nacional de Pilotos de Linha (SNPL), o maior da França e o maior entre os funcionários da Air France, reagiu com indignação, afirmando que nenhum elemento até aqui leva a crer que houve erro dos comandantes.

"O SNPL se surpreende e lamenta que "informações" sejam divulgadas de forma precipitada horas após a primeira leitura dos gravadores. A única informação tangível é a que a Airbus não recomenda hoje nenhuma modificação de procedimento às companhias aéreas", pondera o sindicato. O SNPL lembra ainda que "alguns procedimentos já foram modificados pelo construtor após o acidente".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.