Proposta de livrar motorista de multa de rodízio será avaliada, diz Haddad

Prefeito de São Paulo evitou comentar teor de projeto de lei que troca punição por advertência na primeira infração

Tiago Silva Dantas, de O Estado de S.Paulo

05 de abril de 2013 | 11h51

O prefeito Fernando Haddad (PT) evitou entrar na polêmica sobre a aprovação do projeto de lei que prevê o fim da cobrança de multa para os motoristas que forem flagrados, pela primeira vez, furando o rodízio municipal de veículos. A proposta foi feita pelo vereador Mário Covas Neto (PSDB) e aprovada em primeira votação pela Câmara, conforme antecipou o Estado nessa quinta-feira, 4.

 

"Estou para conhecer ainda os detalhes dessa medida. Não sei se ela atrapalha ou ajuda o trânsito", afirmou o prefeito na manhã desta sexta-feira, dia 5. "Acho que é uma proposta muito mais técnica do que política. Temos que ouvir os vereadores e a CET. Se a CET não recomendar, em virtude de todos os problemas de trânsito que temos, tenho que ver o que os técnicos vão dizer."

 

Haddad alegou que antes mesmo de ouvir a CET, aguarda o projeto de lei ser aprovado em segunda votação pela Câmara Municipal. O prefeito lembrou que defende a adoção de uma notificação antes da aplicação da multa em outra questão: a fiscalização das calçadas da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.