Propaganda enganosa

TELEFÔNICA/VIVO

O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2012 | 03h03

Recebi correspondência da Telefônica/Vivo que anunciava um combo 3 em 1: TV a cabo, internet banda larga e telefone fixo por R$ 149,80. Como os três produtos não saem por menos de R$ 320, convenhamos, o combo é interessante. Fui até uma loja para me informar. No entanto, vi que se trata de (mais um) golpe. A empresa vende o combo, mas somos obrigados a engolir uma linha extra. O que fazer com a linha que já mantemos? Ou seja: paga-se o combo (R$ 149,80) e mais o valor de uma assinatura de telefone, totalizando pelo menos R$ 200. Os atendentes não sabiam explicar a oferta anunciada no folder; a empresa simplesmente quer enfiar goela abaixo uma nova linha. No folder, ardilosamente, não fica claro o valor do terceiro produto (telefone fixo); exaltam-se apenas a TV a cabo e a internet, como se fossem de graça. É ilusionismo mercadológico.

RONEY SIGNORINI / SÃO PAULO

A Telefônica/Vivo informa que entrou em contato com o leitor para esclarecer os valores e planos de seus serviços. Em relação ao atendimento, esclarece que a empresa conta com uma equipe especializada que acompanha e monitora todos os atendimentos de seus funcionários e, quando necessário, realiza ações corretivas imediatas.

O leitor critica: Hilária a resposta, para não dizer insensata, insana. Falei de alho e a apócrifa carta da Telefônica/Vivo fala de bugalho. Como desmascarar essa sórdida promoção, aviltante à inteligência mínima, imoral? A Telefônica/Vivo não merece mais nenhuma palavra de minha parte. Isso lá é resposta condizente com o tamanho da "encrenca" que denunciei?

VIAÇÃO FÊNIX

Ônibus lotados e atrasados

Há anos os usuários dos ônibus da empresa de transporte urbano Fênix sofrem. Os veículos das Linhas Jundiaí-Itatiba e Jundiaí-Bragança Paulista estão sempre lotados e atrasados. Os motoristas e os usuários têm de aguentar os ônibus velhos, que quebram a toda hora. E os motoristas, além de cobrar as passagens, têm de ajudar os cadeirantes a entrar, pois o elevador nunca funciona. Com duas catracas, uma para entrar e outra para sair, o condutor ainda tem de ir ao final do ônibus para ajudar os usuários a sair do veículo, pois a catraca eletrônica sempre trava, enquanto isso o pessoal que quer entrar tem de esperar. Com chuva é desumano! Muitas pessoas reclamam diariamente da empresa nas rodoviárias, mas nada muda, pois ela não enfrenta concorrência.

RENATA PREZOTTO

/ JUNDIAÍ

A Rápido Fênix Viação Ltda. responde que as reclamações direcionadas à Ouvidoria da Artesp são todas encaminhadas à empresa para conhecimento e as devidas providências. Os veículos têm em média 3,5 anos, dentro dos padrões das melhores empresas no ramo. Eles são dotados com o que há de mais moderno, catracas eletrônicas e acessibilidade aos deficientes e idosos, atendendo plenamente à legislação atual. Diariamente são feitas vistorias pela áreas de manutenção e logística, tanto preventiva como corretiva, para manter a limpeza, a segurança e o conforto. Acrescenta que o índice de ocupação entre os lugares ofertados em relação aos passageiros transportados está abaixo do índice de superlotação.

A leitora desmente: Apesar de reclamar na Artesp, até hoje não vi nenhum agente fiscalizador no local para conferir o que acontece no dia a dia dos usuários dessa empresa.

JANDIRA

Faróis apagados

Faz 5 dias que um farol em uma das principais vias públicas de Jandira, na Rua Conceição Sanmartino, está no amarelo piscante. E, como se não bastasse, nenhum agente de trânsito orienta a passagem. Talvez seja necessário ocorrer um acidente grave para que as autoridades tomem alguma providência.

MARCOS ANDRÉ LEANDRO

/ JANDIRA

A assistente da Ouvidoria da prefeitura de Jandira, Rosangela T. B. Souza, informa que é comum queimar o controlador de semáforo no local citado, por causa das quedas de energia. Justifica que os usuários da via já têm noção do problema e transitam no local com velocidade reduzida, por isso não há registro de acidentes. Diz que o problema foi sanado no dia seguinte ao relato.

O leitor analisa: Como sempre a administração pública de Jandira maquia a verdade. O problema não foi resolvido no dia seguinte. O farol ficou no amarelo piscante, de 27/4 a 2/5. Mas ela está certa quando diz que a população está acostumada com as mazelas da cidade. Pois não se deveria considerar normal um farol ficar sem funcionar por tantos dias. Mas é realmente comum ver faróis apagados por dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.