Promotoria protocola ação de indenização por cratera do Metrô

Promotoria protocola ação de indenização por cratera do Metrô

A Justiça distribuiu ontem para a 5.ª Vara da Fazenda Pública ação civil pela qual o Ministério Público Estadual pede a condenação de ex-dirigentes do Metrô e das empreiteiras que formam o Consórcio Via Amarela ao pagamento de R$ 238,5 milhões de indenização por danos morais e patrimoniais difusos pela cratera de Pinheiros ? desabamento das obras do Metrô, em janeiro de 2007, que provocou a morte de 7 pessoas. A base da ação são os laudos do Instituto de Criminalística (IC) e do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

, O Estadao de S.Paulo

30 Março 2010 | 00h00

"O Ministério Público apurou que houve graves omissões por parte dos agentes do Metrô e também por parte das empresas do consórcio", diz o promotor de Justiça Saad Mazloum, da Promotoria do Patrimônio Público e Social. "Essas omissões ensejaram a ocorrência dessa catástrofe para a população de São Paulo." Segundo Mazloum, o Metrô "deixou de exercer o seu papel de fiscalizador, simplesmente abdicou dessa importante missão que lhe é conferida pela lei e pelo contrato com o consórcio".

O promotor constatou ainda que o Via Amarela, por meio das empreiteiras que o compõem, deixou de adotar diversos procedimentos exigíveis para a obra.

Procuradas, as assessorias de imprensa do Consórcio Via Amarela e do Metrô informaram que só se manifestarão após tomarem conhecimento oficial da ação. / B.T. e F.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.