Promotor Igor pode pleitear regime semiaberto em três anos

Pena para condenado por matar mulher grávida é de 18 anos de prisão, mas lei permite progressão de regime

Central de Notícias,

20 de outubro de 2009 | 18h48

O ex-promotor Igor Ferreira da Silva, preso na segunda-feira após ficar foragido por oito anos, pode pleitear a progressão para o regime semiaberto após cerca de três anos de prisão, que representam um sexto de sua pena. A lei prevê essa possibilidade, segundo informou, nesta terça-feira, 20, a Procuradora de Justiça de São Paulo Valderez Deudsdit Abbud, responsável pela acusação no julgamento do ex-promotor.

 

Veja também:

linkPromotor Igor é transferido para presídio em SP

 

Igor deveria cumprir uma pena de 18 anos, sendo 14 pelo crime de homicídio de sua mulher e outros quatro por porte ilegal de arma. Como a mulher do ex-promotor estava grávida, ele também foi condenado a três anos e três meses de prisão pelo crime de aborto sem o consentimento da gestante.

 

Nessa última condenação, que foi em 2001, a pena prescreveu em abril deste ano, já que crimes com penas inferiores a quatro anos prescrevem em oito anos.

Tudo o que sabemos sobre:
Igor Ferreira da Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.