Promessa vem de 1998

A proposta da Prefeitura de criar a Zona Azul eletrônica é antiga. A ideia surgiu na gestão Celso Pitta (1997-2000), quando, em 1998, foi anunciada licitação para colocar 1,2 mil parquímetros nas ruas. O projeto, que previa emissão de cartões magnéticos recarregáveis, foi suspenso.

O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2012 | 02h03

Em 2003, a gestão Marta Suplicy (2001-2004) retomou a discussão, propôs concessão de 15 anos para o serviço, mas teve a proposta barrada pelo Tribunal de Contas do Município. A Zona Azul eletrônica saiu do papel em 2006, com Gilberto Kassab. Um projeto-piloto de pagamento com celular foi instalado nos Jardins, Praça Charles Miller e Largo do Arouche, mas caiu em desuso pela baixa adesão.

A Zona Azul tradicional teve início na cidade em 1975, no centro antigo de São Paulo. Em julho daquele ano, 5 mil vagas já estavam espalhadas por pontos como as Praças da Bandeira e Dom José Gaspar. Atualmente, são 36.170 vagas de Zona Azul espalhadas pela cidade, a maioria delas nas zonas oeste (30%), central (30%) e sul (27%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.