Prolongamento de 3,6 km da Chucri Zaidan vai desapropriar 300 imóveis

Obra inclui passagens subterrâneas e construção de duas pontes sobre o Rio Pinheiros

Adriana Ferraz, de O Estado de S. Paulo,

10 de janeiro de 2012 | 23h25

SÃO PAULO - O prolongamento da Avenida Doutor Chucri Zaidan até a Avenida João Dias, na região do Morumbi, zona sul da capital paulista, vai exigir a desapropriação de 300 imóveis e a abertura de passagens subterrâneas para superar obstáculos ao longo dos 3,6 km extras da via. Avaliado em R$ 324 milhões, o projeto ainda inclui a construção do Complexo Burle Marx, com duas novas pontes sobre o Rio Pinheiros.

Segundo a Prefeitura, o conjunto de obras vai desafogar o trânsito na Marginal do Pinheiros na altura do bairro do Panamby, onde são frequentes os relatos de assaltos a motoristas presos em congestionamentos. Pelo projeto, a extensão da Avenida Doutor Chucri Zaidan a partir da Rua Joerg Bruder, nas proximidades do MorumbiShopping, também visa a criar um novo corredor de fluxo paralelo à Avenida Santo Amaro.

Quando pronta, a nova via deve compor o corredor formado pelas Avenidas Brigadeiro Faria Lima e Engenheiro Luís Carlos Berrini, ligando o Itaim-Bibi à região de Interlagos.

Para abrir espaço às duas novas pistas, com quatro faixas cada, e fugir dos quarteirões já tomados por prédios, serão construídas duas passagens subterrâneas em um trecho de 800 metros entre a Rua Américo Brasiliense e a Avenida João Carlos da Silva Borges.

“Haverá um estrangulamento das faixas, em ambos os sentidos, de modo que duas ficarão em cima e duas, embaixo”, explica Pedro Pereira Evangelista, diretor de desenvolvimento de projetos da SP Obras.

O contrato para execução das obras já foi assinado - e publicado no dia 4 no Diário Oficial do Município. Mas o início dos trabalhos depende da obtenção da licença ambiental e da autorização judicial para desapropriar os 300 imóveis residenciais e comerciais no perímetro da intervenção. Por enquanto, só o decreto de utilidade pública da área foi publicado pelo Município. As notificações dos proprietários devem ser feitas ao longo do ano.

Remoção. Em alguns quarteirões, como o formado pelas Ruas da Paz, José Vicente Carvalheiro, Joaquim de Andrade e Engenheiro Mesquita Sampaio, a remoção será total. No local, há pequenos sobrados, lojas, empresas e alguns galpões abandonados. “Em outros trechos, porém, poderemos fazer uma desapropriação parcial do terreno”, diz Evangelista.

Por causa da dificuldade do processo, a expectativa é de que a obra comece pela construção das pontes. “Como já assinamos o contrato, assim que estivermos com a licença ambiental nas mãos poderemos emitir a ordem de serviço.” As novas estruturas serão erguidas entre as atuais Pontes do Morumbi e João Dias. Ambas com sentido único.

Vila Andrade. Principal via de acesso à Marginal do Pinheiros, a Rua Itapaiúna, na Vila Andrade, será alargada durante as obras do Complexo Burle Marx. A mudança oferecerá aos moradores do bairro uma alça de acesso à futura Ponte Itapaiúna, que cruzará o Rio Pinheiros no sentido Santo Amaro.

A interferência viária evitará que motoristas que seguem na direção de Interlagos tenham de enfrentar o trânsito pesado do entorno da Ponte João Dias para entrar na Marginal do Pinheiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.