Projeto não sai do papel

CET - SINALIZAÇÃO EM PERDIZES

O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2012 | 03h02

Em 14 de janeiro reclamei sobre os constantes acidentes que acontecem na esquina da Rua Monte Alegre com a Rua Caiubi, em Perdizes, e, na ocasião, a CET se comprometeu a tomar várias providências. Estamos no fim de junho e, até agora, nada foi feito. Na oportunidade, também perguntei quando seria instituído o tal projeto da CET para o local, porque moro no bairro há muitos anos e já fizemos várias solicitações que acabam sempre sendo esquecidas. Mais uma vez cobro da CET as providências prometidas e não executadas, solicitando um prazo verdadeiro para a resolução do problema.

NADIA LOPES / SÃO PAULO

Sobre a readequação de sinalização na interseção das Ruas Monte Alegre e Caiubi, a CET informa que foi elaborado projeto que prevê a instalação de placa de parada obrigatória, o que servirá para ressaltar a hierarquia das vias concorrentes do cruzamento, de linha dupla amarela com tachões e readequação de área restringindo o estacionamento na aproximação da interseção. Diz que vai avaliar a possibilidade de instalação de semáforo piscante de advertência, para reforçar a prioridade de circulação dos fluxos que se cruzam no local.

A leitora comenta: Em 14 de julho a primeira resposta da CET completará seis meses, sem que nenhuma providência tenha sido tomada. Esta segunda resposta continua não estabelecendo prazo para a execução do projeto. Temos uma média de um acidente por semana. Quando, efetivamente, o projeto será executado? E se a população resolvesse pagar os impostos desse mesmo modo, sem data certa?

LINHA 9 DA CPTM

Passageiros presos no trem

Fiquei cerca de 15 minutos presa no trem da CPTM, Linha Esmeralda, na Estação Granja Julieta. Apenas um aviso foi dado no nosso vagão, dizendo que era para aguardar, pois o problema seria resolvido. Mas ninguém informou que estava ocorrendo! Apertamos os botões de emergência e absolutamente nada aconteceu. Uma senhora desmaiou, o trem estava lotado e não tinha ar para todo mundo. Conseguiram abrir uma das portas do vagão em que eu estava com a ajuda dos guardas do lado de fora. Essa linha apresenta problemas de funcionamento quase todos os dias, especialmente nos horários de pico. A população não aguenta mais!

ALESSANDRA LORENSATTO

CAMARGO / SÃO PAULO

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) informa que às 8h10 do dia 22 de junho (sexta-feira), uma composição que seguia no sentido Osasco apresentou um defeito na Estação Granja Julieta, na Linha 9-Esmeralda (Grajaú-Osasco). Os usuários seguiram no trem seguinte e foram informados pelo sistema de som dos trens e estações.

A leitora reclama: Essa resposta não é nada satisfatória. Além de sofrer com todos os problemas, nem sequer soubemos o que de fato aconteceu. O que me preocupa é que acionamos os botões de emergência esperando que as portas se abrissem e isso não ocorreu. Por quê? Em casos de incêndio ou outra emergência não há um plano de contingência? A CPTM não está preparada?

SEGURANÇA PÚBLICA

Avenida sem posto da PM

Relato um fato que mostra o descaso com a segurança pública em São Paulo. A Avenida Ragueb Chohfi, no extremo leste da cidade, é a principal ligação com a Cidade Tiradentes, com trânsito bastante intenso e grande quantidade de estabelecimentos comerciais. Pois bem, nessa avenida havia uma base da Polícia Militar (PM) no cruzamento com a Rua Antônio Assunção Ferreira. Há algumas semanas, surpreendentemente, a base foi retirada e instalada em uma rua absolutamente tranquila, no meio do bairro. Em toda a extensão da avenida, essa base era a única da PM. Talvez eles ainda não tenham percebido a importância de haver bases fixas da polícia em grandes avenidas. Talvez seja melhor para os policiais ficar em ruas tranquilas.

LUIS CARLOS MARCOLINO

/ SÃO PAULO

A Polícia Militar esclarece que as Bases Comunitárias são alocadas levando em consideração diversos critérios e que a ostensividade e o atendimento à comunidade são preponderantes para determinar o local de sua efetiva atuação. A reclamação foi encaminhada ao Comandante de Policiamento da região para avaliação.

O leitor comenta: Falta muito para melhorar a segurança em São Paulo. Não sei o que pensa o comandante da PM, mas eu, como cidadão leigo, entendo que seria melhor ter bases da PM em vias movimentadas do que em ruas tranquilas. Ou não?

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.