Projeto leva cadeirantes para banho de mar

Projeto leva cadeirantes para banho de mar

Iniciativa usa cadeira de rodas anfíbias; ação ocorre em 11 praias do litoral paulista

Edison Veiga e Reginaldo Pupo, O Estado de S. Paulo

24 de abril de 2016 | 03h00

“Chorei quando pude voltar a sentir o mar em meu corpo”, conta a funcionária pública aposentada Lêda de Souza Braga, de 67 anos. Diagnosticada com a doença de Parkinson em 2009, passou a não sentir mais firmeza para entrar na água sozinha. Graças ao Programa Praia Acessível – que apresenta cadeiras de rodas “anfíbias” e uma equipe de funcionários –, ela tomou coragem e sentiu as ondas novamente na quarta-feira passada, em Santos. 

Lançado em 2010 pelo Governo do Estado, a iniciativa tem proporcionado a experiência a idosos e deficientes físicos. “Em muitos casos, o convívio com o mar é até uma ajuda aos tratamentos”, acredita o secretário de Defesa da Cidadania de Santos, Carlos Mota. O programa existe em 11 cidades litorâneas de São Paulo: São Sebastião, Ilhabela, Bertioga, Guarujá, Mongaguá, Caraguatatuba, Praia Grande, Itanhaém, Iguape, Cananeia e Mongaguá. E também em alguns municípios com praias de rio, como Avaré, no sudoeste do Estado. 

Em Ilhabela, no litoral norte, por exemplo, há 11 cadeiras “anfíbias”. De acordo com a Prefeitura, elas ficam disponíveis todos os dias nas Praias Grande, Pedras Miúdas, Castelhanos, Armação, Bonete, Perequê e Garapocaia (Pedras do Sino). 

Em São Sebastião, também no litoral norte, a reportagem encontrou cerca de dez cadeiras trancadas em uma sala, sem utilização, com sinais de deterioração, na quarta-feira. Procurada, a Prefeitura não respondeu ao Estado sobre o problema. 

Selo azul. Com 900 metros de extensão, a Praia do Tombo destaca-se positivamente na orla do Guarujá. As escadas estão bem conservadas e há rampas de acesso novas. Trata-se da única praia urbana do País a contar com o selo azul, conferido pela ONG internacional Fundação para Educação Ambiental (FEE, na sigla em inglês). 

Ali, a Prefeitura instalou rampas próximas de sanitários, chuveiros ecológicos e esteiras de acesso. A praia também conta com cadeiras “anfíbias”. Nos chuveiros públicos, há temporizadores – em uma das medidas ecológicas adotadas. Seria um exemplo que deveria espalhar-se pelo litoral. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.