Projeto de suportes para bicicletas em ônibus é abandonado

Proposta de 2010 chegou a receber o nome de Bike Bus pela Prefeitura

Diego Zanchetta e Rodrigo Burgarelli - O Estado de S.Paulo,

06 de novembro de 2012 | 02h06

SÃO PAULO - Há dois anos, a São Paulo Transporte (SPTrans) iniciou testes em ônibus coletivos que tinham suportes para bicicletas colocados na parte dianteira. O objetivo era possibilitar que, em cada veículo, até três ciclistas pudessem usar o “bike rack” instalado nos coletivos. O projeto, que chegou a ser batizado pela Prefeitura de Bike Bus, era previsto para funcionar todos os fins de semana. Segundo a SPTrans, não há mais previsão para que esse tipo de transporte esteja disponível.

1. Qual era a proposta do Bike Bus?

O suporte funciona de maneira parecida aos ganchos de bicicletas usados nos automóveis. Quando o ônibus para, o motorista aciona um mecanismo que destrava o Bike Bus para que os usuários guardem as bicicletas. A trava é novamente acionada, para evitar roubos. A SPTrans estima que a operação para guardar a bicicleta duraria cerca de um minuto.

2. Quem criou a proposta?

O projeto foi apresentado ao governo municipal por diretores da Viação Sambaíba, empresa responsável pelo transporte na zona norte. Representantes da empresa estiveram nos Estados Unidos e descobriram o equipamento, que é utilizado em cidades como Miami e Los Angeles. Técnicos da SPTrans chegaram a aprovar a segurança do suporte e o início da operação experimental.

3. Quais linhas da capital teriam o suporte?

Em outubro de 2010, a previsão era de que o Bike Bus funcionasse, no início, em poucas linhas que passam por parques municipais e estaduais, nos fins de semana. Após o período de testes, dependendo das conclusões, ele poderia ser ampliado.

4. Como funciona no exterior o transporte de bicicletas em coletivos?

Nos anos 1980, Londres foi uma das primeiras cidades a instalar suportes para bicicleta nos seus tradicionais ônibus vermelhos de dois andares. Em Paris, bicicletários no centro da cidade permitem às pessoas retirar bicicletas a baixo custo, como  1 (R$ 2,36) por 50 minutos. Já em Berlim as bicicletas podem ser levadas no Metrô da cidade a qualquer hora do dia, sendo muito usadas como meio de transporte.

5. Por que o projeto não foi para frente?

Segundo a São Paulo Transporte, uma nova determinação que entrou em vigor logo após o início dos testes proibiu que os ônibus tivessem qualquer tipo de estrutura na frente dos veículos, onde ficavam os suportes testados. De acordo com o órgão, não há mais previsão para o serviço ser ofertado em São Paulo.

 

A QUEM RECLAMAR

Prefeitura de São Paulo

http://sac.prefeitura.sp.gov.br

Ouvidoria-Geral do Município

(11) 0800-175717

(11) 3334-7132

 

SPTrans

http://www.sptrans.com.br/sac

156

Mais conteúdo sobre:
SP na GavetaBike Bus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.