Projeto de aeroporto não avança

O terceiro aeroporto de São Paulo, que já foi dado como certo na capital em 2007, não está mais nem mesmo no papel. Segundo a Secretaria de Aviação Civil (SAC), fora projetos para aviação privada de aeronaves pequenas nos moldes do Campo de Marte, não há nenhum pedido de construção de um novo aeroporto em análise desde 2010.

O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2013 | 02h02

A ideia da construção de mais um polo além de Cumbica e Congonhas, que ajudaria a desafogar o tráfego aéreo da cidade, ganhou força em 2007, após o acidente com o Airbus da TAM, que caiu na Avenida Washington Luís. Três dias depois, o governo federal anunciou que o local de um novo aeroporto seria definido em três meses. A proposta foi descartada depois de 10 dias e substituída pela de construção de uma terceira pista no aeroporto de Cumbica - que também ainda não foi realizada.

Um projeto previsto para uma área no município de Caieiras, a 30 km do centro da capital, chegou a ser analisado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), mas foi descartado em 2010, sob o argumento de que causaria interferências no já tumultuado tráfego dos aeroportos de Cumbica, Viracopos, Jundiaí e Congonhas. As construtoras afirmaram que levariam novo projeto à SAC, o que, segundo a entidade, ainda não ocorreu. / ANDRÉ CABETTE FÁBIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.