Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Projeto de 12 anos foi engavetado

A QUEM RECLAMAR

DIEGO ZANCHETTA, RODRIGO BURGARELLI, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2012 | 03h03

Há 12 anos, ainda na gestão Celso Pitta (1997-2000), a Prefeitura de São Paulo lançou um programa inovador. A ideia consistia em cobrir os muros de órgãos públicos municipais, incluindo escolas e creches, com trepadeiras. Mudas gratuitas também seriam doadas a qualquer cidadão que quisesse. Além de deixar a cidade mais verde, o programa prometia "blindar" as paredes da capital contra as pichações sem autorização dos donos. O projeto nunca foi adiante.

Sugestões para a coluna?

1. Qual era a promessa feita pela Prefeitura há 12 anos?

Em 2000, o então prefeito Celso Pitta (1997-2000) lançou um programa para tornar a cidade mais verde e com menos pichações. Mudas de unha-de-gato, uma das plantas trepadeiras mais usadas para paisagismo, seriam distribuídas gratuitamente para qualquer proprietário de imóvel na capital. O objetivo era estimular a cobertura de muros da cidade com essa hera.

2. Imóveis públicos também seriam cobertos pelas trepadeiras?

Sim. A promessa era que todos os prédios municipais, desde as sedes de órgãos como secretarias e empresas públicas até pequenas creches e escolas de bairro, fossem cobertas pela planta. Isso diminuiria os custos com a pintura dos muros, que frequentemente são alvo de pichadores não autorizados pela Prefeitura, e causaria um impacto urbanístico positivo, segundo foi anunciado na época.

3. O plano chegou a ser colocado em ação?

De certa maneira, sim. A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) chegou a comprar 30 mil mudas de unha-de-gato para distribuir entre os paulistanos que quisessem um exemplar. E o Pacaembu foi o primeiro imóvel municipal a ter seus muros cobertos por trepadeiras, plantadas no dia do lançamento do projeto.

4. Quais seriam os próximos passos?

Segundo a então secretária de Assistência Social, Alda Marco Antônio - que também ocupa o mesmo cargo hoje, além de ser vice-prefeita -, os cemitérios da Consolação, Araçá, São Paulo e Lapa seriam os próximos a receber as trepadeiras. "Vamos plantar unha-de-gato em todos os espaços públicos possíveis e dentro de dois anos eles serão cobertos por essa vegetação saudável, que vai ser agradável a todos", disse à época.

5. Por que o projeto não foi adiante?

Segundo Alda Marco Antônio, o programa não teve continuidade na gestão que se seguiu na Prefeitura, a de Marta Suplicy (2001- 2004). Por isso, a ideia foi engavetada e praticamente não chegou a sair do papel.

MANDE DICAS E COMENTÁRIOS PARA: DIEGO.ZANCHETTA@GRUPOESTADO.COM.BR OU RODRIGO.BURGARELLI@GRUPOESTADO.COM.BR.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.