NELSON ANTOINE/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
NELSON ANTOINE/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Professores fazem protesto em frente à casa de Doria

Grupo reivindica convocação de aprovados em concurso feito no ano passado; Polícia Militar não registrou incidentes

O Estado de S. Paulo

15 de outubro de 2016 | 12h07

SÃO PAULO - Um grupo de cerca de 50 pessoas realizou um protesto na manhã deste sábado, 15, na frente da casa do prefeito eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), na Rua Itália, no Jardim Europa, na zona sul. Composto por professores e representantes de sindicatos, o ato reivindicava a convocação de aprovados no último concurso, em novembro de 2015.

O grupo, de acordo com os próprios manifestantes, foram recebidos por um assessor que se comprometeu a analisar as reivindicações. Não houve incidentes, informou a Polícia Militar. Com cartazes e balões, os integrantes da passeata saíram da Estação Fradique Coutinho, em Pinheiros, e seguiram até a residência do tucano. 

"Defendemos também a expansão pela rede direta, que tem mais qualidade. Não pode ser apenas pela escolas conveniadas", afirma a professora Jaqueline Matos, 28 anos, que aguarda convocação após ser aprovada no concurso. "Sem uma boa educação infantil, com ambiente adequado e professores preparados, a criança terá dificuldades de alfabetização", afirma. 

Não é o primeiro protesto no local. Três dias após a eleição, no dia 5, para ali foram dezenas de ciclistas preocupados com o que a gestão vai fazer com a política de ciclovias ampliada pelo atual prefeito Fernando Haddad (PT). Essa nova dinâmica, porém, já preocupa os vizinhos do prefeito eleito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.