ARQUIVO PESSOAL
ARQUIVO PESSOAL

Professora sai à caça e acha nascentes soterradas em Itu

Maria Isabel Garção, de 67 anos, ficou sete meses sem água em casa; em menos de um ano, encontrou mais de 30 minas d'água

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

14 de outubro de 2015 | 09h00

SOROCABA - Depois de ficar sete meses sem água em sua casa, em Itu, interior de São Paulo, no ano passado, a professora de inglês Maria Isabel Garção, de 67 anos, tomou uma medida radical. Moçambicana que mora no Brasil há mais de 40 anos, ela passou a usar o tempo livre para descobrir e denunciar nascentes maltratadas na cidade. Em menos de um ano, Maria Isabel encontrou mais de trinta minas d'água apenas na área urbana.

Ela conta que se inspirou na iniciativa de Adriano Sampaio, o "caçador de nascentes" da capital. As minas são fotografadas e postadas na internet com uma descrição de seu estado. "A cidade tem muita água, mas está inaproveitável, pois fizeram o diabo com as nascentes", afirma. "Tem muitas que quase secaram porque a mata desapareceu, outras foram soterradas para abertura de ruas e construção de prédios e tem ainda as que viraram esgoto. Não houve respeito com a água."

Um dos casos apontados pela professora envolveu a construção de um parque linear na cidade. "Ao invés de valorizarem o rio, concretaram o leito", conta. Em outro local, havia um lago e foi soterrado para a construção de prédios. "Canalizaram a nascente e dá para ouvir o barulho da água, mas está indo parar no esgoto." Um grupo de moradores já participa das buscas com a professora. Outros, como Wagner Nascimento, do Jardim Paulista, pedem a presença de Maria Isabel para "ver o estado" de uma nascente no bairro.

Com a mobilização, ela espera que as nascentes sejam protegidas e a água, usada para o abastecimento. "Não seria preciso buscar tão longe, pois tem muita água por aqui, basta cuidar." Na página 'Nascentes de Itu' na rede social Facebook, ela cobra as autoridades. "Antes que Itu vire sertão, melhor começar aqui também a recuperação das nascentes. Ainda quero ver um governo com coragem e consciência para fazer esse trabalho, respeitando a natureza." 

A prefeitura informou ter feito plantio de mudas em áreas de nascentes. A empresa Águas de Itu, responsável pelo abastecimento da cidade, informou que utiliza imagens de satélite para localizar as nascentes no município. Segundo a empresa, foram identificadas 641 nascentes em toda a cidade, incluindo a zona rural.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise da águaItu

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.