Isaac de Oliveira/Estadão
Isaac de Oliveira/Estadão

Professora da rede pública é envenenada em sala de aula por alunos do 4º ano

Crianças de 10 e 11 anos colocaram veneno para insetos na garrafa de água da educadora, que foi medicada e já recebeu alta

João Ker, Paula Felix e Isaac de Oliveira, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2020 | 14h39
Atualizado 14 de fevereiro de 2020 | 19h53

SÃO PAULO - Uma professora da rede estadual de ensino foi envenenada por alunos do 4.º ano na tarde desta quinta-feira, 13. Os estudantes, de 10 e 11 anos, colocaram veneno para insetos na garrafa da educadora, que se sentiu mal e foi encaminhada pela equipe da Escola Estadual Dr. Aniz Badra, no Grajaú, na zona sul da capital, para um pronto-socorro da região. Ela foi medicada e recebeu alta no mesmo dia. A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Educação, que repudiou o ato.

A professora  deu entrada no Pronto-Socorro Municipal Dona Maria Antonieta Ferreira de Barros às 16h40. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, a vítima foi medicada e recebeu alta às 22h50.

De acordo com a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, foi registrado um boletim de ocorrência e o caso é acompanhado pelo Conselho Tutelar. “Os responsáveis pelos alunos foram chamados e será realizada uma reunião para definir as medidas que serão adotadas aos estudantes”, afirma o órgão em nota.

A secretaria ainda informa que equipes do Programa Conviva e do Centro de Referência e Apoio à Vítima (Cravi), vinculado à Secretaria da Justiça, foram à escola para dar suporte aos professores, alunos e à comunidade escolar.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública, informou que a diretora da unidade de ensino acionou a Polícia Militar após a professora da 4ª série passar mal ao tomar água de uma garrafa que estava em sua mesa. O caso foi registrado como envenenamento de água potável, no 101.° DP (Jardim das Embuias). Ainda de acordo com a pasta, o caso seguirá para a Vara da Infância. 

A reportagem do Estado foi até a escola, mas ninguém quis comentar o assunto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.