Professora aposentada da PUC morre atropelada no centro de SP

Empresário que matou professora disse que ela havia atravessado fora da faixa de pedestres

Marcela Bourroul Gonsalves, estadão.com.br

15 de agosto de 2011 | 16h53

SÃO PAULO - A professora aposentada da PUC-SP, Maria Angélica Victoria Miguela Careaga Soler, de 74 anos, faleceu após ser atropelada na noite último sábado, 13. Ela atravessava a Alameda Barros, na esquina com a Rua São Vicente de Paula, na Santa Cecília, região central de São Paulo.

Ela foi levada ao Pronto Socorro da Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos. A polícia recebeu o chamado por volta das 19h e, no local, os agentes encontraram um empresário que dirigia o carro que atropelou a vítima. Em depoimento, ele afirmou que a professora havia atravessado a rua fora da faixa de pedestres.

A polícia solicitou perícia e exame necroscópico. O caso será investigado como infração por lesão corporal culposa. O velório foi realizado nesta segunda-feira, 15, na Igreja Coração de Maria, na Rua Jaguaribe. O sepultamento aconteceria ainda hoje, às 16h, no Cemitério do Araçá.

Sobre a professora. Nascida em 1936, em Assunção, no Paraguai, Maria Angélica entrou na graduação em História, em 1962, na Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Sedes Sapientiae. Fez especialização em História Moderna e doutorado em História Social.

Começou a trabalhar na PUC-SP em 1971 e, até se aposentar em 2006, ocupou diversos cargos do departamento na graduação em História. Além disso, foi uma das idealizadoras do Núcleo de Estudos da Mulher, do Programa de Estudos Pós-Graduados em História, em 1991.

Mais conteúdo sobre:
ProfessoraPUCmorteatropelamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.