Professor que matou cortador de cana por causa de barulho diz que reagiu a agressão

Acusado de matar uma cortador de cana e ferir outro por causa de barulho, o professor João Tadeu Arruda, de 62 anos, se apresentou ontem na delegacia de General Salgado, interior de São Paulo, onde o crime aconteceu. Arruda admitiu que foi o autor dos disparos, mas alegou que não teve intenção de matar e disse que atirou para se defender. Segundo o professor, um grupo de 15 a 20 cortadores de cana ameaçou invadir sua casa, após discussão. Segundo o delegado, testemunhas confirmam a versão do professor.

O Estado de S.Paulo

14 Abril 2012 | 03h03

Arruda foi indiciado por homicídio qualificado e tentativa de homicídio qualificado, mas não teve a prisão temporária decretada, segundo o delegado, porque "não há motivos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.