Produtor de ''Survivor'' é preso pelo FBI pela morte de brasileira

México também solicitou a extradição do americano; homicídio ocorreu em abril, em hotel de luxo de Cancún

, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2010 | 00h00

O produtor de televisão americano Bruce Beresford-Redman, da série Survivor, foi preso anteontem na Califórnia, acusado do homicídio da mulher brasileira no México. Segundo informou o FBI à emissora KTLA, a prisão ocorreu depois de um juiz dos Estados Unidos ter assinado ordem de detenção na sexta-feira.

Segundo as autoridades do estado mexicano de Quintana Roo, Beresford-Redman participou do assassinato da mulher, a ex-modelo brasileira Mônica Burgos, no início de abril, em Cancún. O homicídio ocorreu no luxuoso hotel Moon Palace. Suspeito, Beresford deixou a cidade sem permissão da polícia, no fim de maio. A promotoria de Quintana Roo emitiu uma ordem formal de detenção contra o produtor, seguida pelo pedido para sua extradição.

As autoridades mexicanas haviam solicitado que o produtor permanecesse no México enquanto continuassem as investigações, mas seu advogado, Richard Hirsch, disse que Beresford-Redman "retornou a Los Angeles para ficar com seus filhos e para atender assuntos familiares e pessoais."

A Justiça de Quintana Roo espera julgar rapidamente o caso, como informou ontem procurador-geral, Francisco Alor Quesada. "Não sabemos ainda quanto tempo demorará o processo de extradição, talvez cerca de três semanas, ou mais. Mas o importante é que isso ocorrerá e haverá possibilidade de se obter justiça para este caso."

O produtor passou a noite no centro de detenções metropolitano da cidade de Los Angeles. Ele continua a negar participação no crime. Nas suas primeiras declarações após o desaparecimento da mulher, ele tratou o caso como um suposto sequestro e disse que a modelo brasileira havia saído do hotel em um táxi apenas para fazer compras.

Dois dias depois, em uma busca com a participação até da Cruz Vermelha, foi encontrado o corpo de Monica, a 80 metros do apartamento que ocupava. As suspeitas recaíram sobre o produtor. /AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.