Produção Agrícola Sustentável é a quarta área mais procurada em programa

Desde início do Ciência sem Fronteiras, 1.098 bolsas foram dadas para o segmento, uma das prioridades do governo

Ocimara Balmant e Paulo Saldana - O Estado de S. Paulo,

01 Junho 2013 | 17h13

A área Produção Agrícola Sustentável é uma das 18 prioritárias do programa Ciência Sem Fronteiras (CsF), do governo federal, e está entre os quatro segmentos com maior participação de bolsistas. Desde o início do programa, no ano passado, foram concedidas 1.098 bolsas nessa área, que representam 5,4% do total dos 20.115 benefícios somados desde o início do programa.

O CsF é uma das grandes apostas do governo federal e do Ministério da Educação (MEC) para a internacionalização da pesquisa no País. O programa tem a meta de enviar 101 mil estudantes e pesquisadores para instituições de ensino superior em outros países até 2015. O CsF oferece bolsas para estudantes da graduação, doutorado e pós-doutorado.

A maior parte das bolsas da área agrícola foi dada a estudantes de graduação, em um total de 541 benefícios - dessas, 301 ainda estão vigentes. Apesar de haver predominância de intercâmbios para o nível inicial de estudo, essa área é também uma das que mais reúnem bolsistas de pós-doutorado - que, em geral, representam pesquisas mais avançadas e importantes.

Segundo mapa de bolsistas no mundo, foram concedidas 116 bolsas para pesquisas de pós-doutorado em produção agrícola. É o terceiro maior número nessa modalidade entre as áreas prioritárias. Além disso, a maioria dos pesquisadores está nos Estados Unidos e na Europa, que concentram as melhores instituições de ensino.

Para o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, o intercâmbio promovido pelo programa lembra o que ocorreu na formação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). "Temos de ter foco na internacionalização. Esses movimentos trouxeram grandes saltos para o País e para a universidade brasileira." Mercadante ressalta que o foco maior do programa é o conjunto de cursos de Exatas e Tecnologia. O CsF já tem 41 mil bolsas autorizadas para o programa, segundo o MEC.

Prioridade. Até agora, a área campeã em número de bolsas é Engenharia e Demais Áreas Tecnológicas, com 7.698 benefícios. A maioria dos bolsistas desse segmento é formada por estudantes de graduação, com 6.881 beneficiados. Em segundo lugar no ranking das bolsas do CsF, aparece a área Indústria Criativa, com 1.537 bolsistas, seguido de Biologia, Ciência Biomédias e da Saúde, que somou 1.109 benefícios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.