Procuradoria vai apurar falha de segurança da Noar

O Ministério Público Federal (MPF) de Pernambuco abriu inquérito para apurar as causas da queda do avião da Noar Linhas Aéreas, que matou 16 pessoas no Recife no dia 13. O procurador da República Marcos Antonio da Silva Costa pediu à Justiça Federal que "investigação, processo e julgamento" relacionados ao acidente sejam de competência da União.

Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

19 Julho 2011 | 00h00

O caso também é tema de inquérito da Polícia Civil. O delegado Guilherme Mesquita quer ouvir, ainda nesta semana, donos e funcionários da empresa.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) anunciou ontem que fará auditoria na empresa. Anteontem, a agência mandou suspender os voos da companhia depois de receber da Rede Globo cópias de anotações de pilotos sobre problemas técnicos em uma das aeronaves. Essas observações deveriam estar no Relatório Técnico de Aeronave (RTA). "Aparentemente existia um RTA fantasma, que não registrava oficialmente as panes", disse ao Estado o piloto de uma das principais companhias brasileiras. / COLABOROU ANGELA LACERDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.