HÉLIO TORCHI
HÉLIO TORCHI

Prisão de 'serial killer de animais' é revogada

Dalva Lina da Silva havia sido condenada a 12 anos de prisão e ao pagamento de multas por ter matado 37 cães e gatos em 2012

O Estado de S. Paulo

26 Junho 2015 | 19h23

SÃO PAULO - A Justiça de São Paulo revogou nesta quinta-feira, 25, a prisão de Dalva Lina da Silva, conhecida como "serial killer de animais". Ela havia sido condenada em 18 de junho a 12 anos, seis meses e 14 dias de prisão e ao pagamento de multas por ter matado ao menos 37 cães e gatos em 2012, em São Paulo.

A desembargadora Maria de Lourdes Rachid Vaz de Almeida, da 10ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, destacou o fato de a acusada ser primária, possuir bons antecedentes, ter residência fixa, ocupação lícita e ter respondido solta ao processo criminal para conceder liminar que revogou o pedido de prisão.

A desembargadora afirmou ainda que "a ré compareceu a todos os atos processuais e não há elementos que demonstrem a presença de requisitos da prisão preventiva".

Sentença. Na sentença proferida no dia 18, a juíza Patrícia Álvarez Cruz argumentou que Dalva recebia os animais em sua casa, teoricamente para destiná-los à doação, já determinada a matá-los. "A ré tem todas as características de uma assassina em série, com uma diferença: as suas vítimas são animais domésticos. De resto, os crimes foram praticados seguindo o mesmo ritual, com uma determinada assinatura, com traços peculiares e comuns entre si, contra diversos animais com qualidades semelhantes e em ocasiões distintas. E o que é bastante revelador: não há motivo objetivo para os crimes. O assassino em série, como o próprio nome diz, é um matador habitual."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.